sintomas do estresse sintomas do estresse

Quais são os sintomas do estresse e como evitá-los? 

7 minutos para ler

O Brasil é considerado o segundo país com maior índice de estresse do mundo, segundo o ranking realizado pela International Stress Management Association (Isma – Brasil). Afinal, grande parte da população sofre com pressões no trabalho, precisando lidar com prazos, cobranças, trânsito e conciliar essa rotina com a vida pessoal. Identificar os sintomas do estresse é o primeiro passo para combater esse problema!

Isso pode provocar os sintomas do estresse, que são caracterizados por sensações de preocupação, irritação, desconforto e frustração. O problema está ligado ao aumento dos níveis de adrenalina e cortisol, que são responsáveis pelo aumento da pressão arterial, contração dos músculos, aceleração dos batimentos cardíacos e da respiração.

Quando a pessoa se encontra emocionalmente estável, o ideal é que ela consiga retornar ao seu estado habitual depois de passar por um momento estressante. Quando o contrário ocorre, a pessoa acaba entrando em um ciclo vicioso e se adaptando às situações de desequilíbrio.

Se você acredita que está passando por esse tipo de situação, confira, a seguir, quais são os principais tipos de estresse, entenda os sintomas e saiba como evitá-los.

Acompanhe!

Quais são os tipos de estresse?

Segundo a Associação Americana de Psicologia, existem 3 tipos de estresse: agudo, episódico e crônico.

Conheça cada um deles e entenda as diferenças.

Agudo

O estresse agudo é o tipo mais comum. Trata-se de uma resposta do corpo a eventualidades ou situações desconfortáveis que exigem alguma ação seja tomada a respeito.

Ele pode ser desencadeado por notícias inesperadas — como um acidente, um erro no trabalho ou uma discussão. Em geral, esse tipo de estresse corresponde a episódios isolados e que não apresentam um efeito persistente no organismo.

Esse tipo de estresse pode ser considerado saudável, pois ensina ao nosso corpo como reagir a situações estressantes. Seus sintomas podem ser emocionais, comportamentais, físicos ou cognitivos. Os principais são:

  • queimação no estômago;
  • cansaço;
  • irritabilidade;
  • alterações de humor;
  • alterações no sono;
  • dores de cabeça;
  • suor nos pés e nas mãos;
  • tensão muscular;
  • aceleração dos batimentos cardíacos.

Episódico

Apresenta as mesmas características do estresse agudo, mas com uma intensidade maior. É considerado episódico porque acontece com maior frequência no dia a dia e se torna parte da rotina. O estresse episódico é muito comum em pessoas negativas e pessimistas sobre situações cotidianas — que sempre projetam o que poderia dar errado e, com isso, ficam ansiosas e tensas.

O efeito para a saúde pode ser bastante nocivo, pois a pessoa aceita que o estresse faça parte da sua vida, podendo desenvolver doenças como úlcera e gastrite. Para controlar esse tipo de situação, é indicado investir na prática de esportes ou meditação, por exemplo.

Crônico

Quando a pessoa fica estressada continuamente, tornando isso parte da sua rotina, o estresse pode se tornar crônico. Geralmente ele é decorrente de experiências traumáticas que ocorrem na primeira infância e são internalizadas, continuando presentes e dolorosas. Além disso, ambientes e situações desagradáveis, a exemplo de um casamento infeliz e um local de trabalho inapropriado, podem potencializar seus efeitos.

O estresse crônico é prejudicial ao corpo, pois alguns hormônios, como o cortisol, ficam elevados durante muitos dias e começam a causar problemas para o organismo. Nesse caso, a melhor maneira de superar esse estresse é por meio da terapia com um profissional capacitado. Ele fará um trabalho a longo prazo, trabalhando todos os pontos insatisfatórios do paciente e descobrindo a sua causa-raiz.

Quais são os sintomas do estresse excessivo?

O excesso de estresse pode causar diversos sintomas — que podem ficar evidentes por meio de sinais físicos ou de sinais psicológicos. Veja alguns deles, a seguir e entenda como reconhecê-los!

Gastrite

A gastrite nervosa é uma doença que não provoca inflamação no estômago da mesma maneira que a gastrite aguda. Porém, ela apresenta vários sintomas parecidos, como queimação, azia e sensação de estar com o estômago cheio.

Esse tipo de gastrite está relacionada a questões emocionais, a exemplo do estresse. Quanto mais tempo o indivíduo passa convivendo com seus sintomas físicos, maior se torna o problema. Por isso, é muito importante reconhecer os indícios e buscar ajuda médica rapidamente.

Baixa imunidade

Quadros de estresse intenso podem baixar a imunidade significativamente, o que acarreta em uma maior suscetibilidade a infecções. Assim, quando uma pessoa permanece estressada continuamente, o organismo libera hormônios de maneira descontrolada, afetando as células de defesa e as funções orgânicas do corpo.

Com o tempo, as defesas deixam de responder às ameaças. Desse modo, somente quando o indivíduo consegue se livrar do estilo de vida estressante é que a imunidade retorna ao seu estado de equilíbrio.

Mudança de apetite

Mudanças no apetite são comuns durante um período de estresse. Isso porque o problema causa alterações químicas no organismo, ocasionando uma elevação da grelina — hormônio gástrico responsável pelo aumento do apetite.

Essas alterações no apetite também provocam flutuações no peso durante os períodos de estresse. Outras causas possíveis incluem o uso de medicamentos, condições psicológicas e alterações hormonais.

Insônia

O estresse intenso é uma das causas principais da alteração do padrão de sono, podendo levar tanto à insônia aguda quanto à crônica. A dificuldade para dormir ou manter o sono constante ao longo da noite pode ser causada pelas preocupações excessivas com obrigações familiares, ansiedade, pressões no trabalho, entre outros.

Como evitar o estresse excessivo?

Reduzir o excesso de estresse pode fazer com que a pessoa se sinta melhor, além de proteger a saúde a longo prazo. Nesse sentido, com algumas mudanças de hábitos é possível controlar o problema. Veja como!

Pratique exercícios físicos

Os exercícios físicos apresentam muitos benefícios para quem os pratica, como relaxamento do corpo e bem-estar geral. Ao se manter ativo, você favorece a liberação de hormônios que diminuem o estresse e provocam a sensação de prazer — como a endorfina.

Dessa forma, opte por atividades que proporcionem prazer dentre a caminhada, a corrida, a musculação ou a natação, por exemplo. Lembre-se de que o importante é manter o corpo sempre ativo.

Mantenha uma alimentação saudável

Manter um consumo adequado de minerais, vitaminas, proteínas, carboidratos e gorduras é muito importante para o bem-estar do corpo. Assim, se o organismo recebe esses nutrientes em quantidades adequadas diariamente, ele funcionará melhor e aumentará a vitalidade e a energia que são necessárias para enfrentar os problemas do dia a dia.

Faça um acompanhamento com um psicólogo

A terapia com um psicólogo capacitado é uma intervenção bastante eficaz para reduzir os níveis de estresse, pois, por meio do tratamento, é possível explicar detalhadamente para o profissional as causas do problema.

A partir daí, ele identificará os fatores desencadeadores o ajudará a encontrar as melhores maneiras de enfrentar todas as situações. Por isso, assim que os sintomas surgirem, não deixe de marcar uma consulta com esse profissional. Em casos mais greve, seu alto nível de estresse resultará em uma situação de esgotamento mental.

Como vimos, os sintomas do estresse podem incluir gastrite, baixa imunidade, irritação, alterações de humor e insônia. Por isso, é muito importante procurar a ajuda de um psicólogo — que poderá diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado por meio da terapia. Desse modo, é possível diminuir os sintomas e ter uma vida mais feliz e saudável!

Você já sentiu algum desses tipos de sintomas do estresse? Então, aproveite e ajude os seus amigos a identificá-los, compartilhando este conteúdo nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Um comentário em “Quais são os sintomas do estresse e como evitá-los? 

Deixe um comentário